João Ferreira de Mello – patriarcas do Bolsão sul-mato-grossense – Bolsão em Destaque de Três Lagoas
Colunista Rudi Guimarães

João Ferreira de Mello – patriarcas do Bolsão sul-mato-grossense

João Ferreira de Mello (falecido – 05de fevereiro de 1863) foi um dos primeiros entrantes do Sertão de Santa Anna, onde se instalou na região do Ariranha e com muito empenho junto a sua esposa Maria Luciana do Espírito Santo, criou seus onze filhos e prosperou grandemente legando uma vasta descendência e patrimônio alçado em gigantescas propriedades rurais que serviram de base para a colonização a sul de Paranaíba, onde veio se tornar Três Lagoas, onde seus descendentes tiveram grande participação e tradição na região como produtores rurais.

A família que ele gerou se entrelaçou com a de Januário Garcia Leal, tornando uma descendência intimamente ligada uma na outra, gerações e gerações de endogamia que fez esquecer os ancestrais que fundaram por alianças esse tipo de aristocracia à moda do cerrado, uma ”casta” que comandou o Bolsão através de uma política familiar que fez dissipar brigas e criar uma economia organizada que foi alicerce do futuro pujante por qual o Mato Grosso do Sul ficou conhecido no mundo da pecuária.

DESCENDÊNCIA

Esses são os filhos do desbravador que iniciou a família Ferreira de Mello, em Mato Grosso do Sul:

1. Manoel Ferreira de Mello (nascido em 1803).

2. Joaquim Ferreira de Mello (nascido em 1805).

3. Gabriel Ferreira de Mello (nascido em 1807).

4. Antônio Ferreira de Mello (nascido em 1809).

5. Anna Ferreira de Mello (nascida em 1811).

6. Rafael Ferreira de Mello (nascido em 1812).

7. Severina Maria de Jesus (nascida em 1815).

8. Fidelis Ferreira de Mello (nascido em 1817). 

9. Emerenciana Ferreira de Mello (nascida em 1821).

10. Anicézio Ferreira de Mello (nascido em 1825).

11. Francisco Ferreira de Mello (nascido em 1828).

Entre os frutos gerados temos personagens históricos como Antônio Paulino da CostaCoronel Januário Garcia LealMaria Lucinda Garcia de FreitasJoão Ferreira LealCoronel ”Chico” Garcia LealMizael Ferreira de Mello entre muitos outros, que participaram ativamente do desbravamento dos Sertões de Mato Grosso do Sul, em fundações de cidades e fazendas, além de atuar ativamente na política.

Maria Angélica Ferreira, sua neta, filha de Antônio Ferreira de Mello
e Delfina Maria de Jesus, que se casou com o Major Joaquim Leal Garcia
filho do Januário Garcia Leal e Luduvina de Freitas.

IMÓVEIS

Fazenda Ariranha, próximo ao ribeirão Ariranha no município de Paranaíba ———– Rs 2:000$000

Benfeitorias na fazenda Ariranha, sendo uma Engenhoca e casa ————————– Rs 100$000.

Fazenda Campo Triste próxima a atual cidade de Três Lagoas, com área de cerca de 140.000 alqueires no valor de —————————————————————————– Rs 1:000$000.

ESCRAVOS

Manoel de idade de trinta e dois anos ——————————————————– Rs 2:000$000.

Um crioulo de nome Marolino, de trinta e cinco anos, com alguma falta ————– Rs 500$000.

Um crioulo de nome Francisco com idade de trinta anos ——————————— Rs 1:500$000.

Um crioulo de nome Domingos, de idade de cinco anos ——————————— Rs 300$000.

Uma crioula de vinte e oito anos, de nome Valentina ————————————- Rs 1:500$000.

Um crioulo de nome Venâncio, com idade de oito anos ———————————- Rs 800$000.

Um crioula de nome Antônia que sai a margem ——————————————- Rs 1:000$000.

Um crioulo de nome João na idade de três anos ——————————————- Rs 800$000.

MÓVEIS

Carro velho arreado com três cangas ——————————————————– Rs 18$000.

Um carro ordinário —————————————————————————- Rs 4$000.

Farpos de Cobre ——————————————————————————- Rs 7$000.

Um Forno de ferro batido ——————————————————————– Rs 6$000.

Três panelas de ferro ————————————————————————– Rs 3$200.

Duas ”cargas” velhas ————————————————————————- Rs 6$000.

Espingarda de pedra velha —————————————————————— Rs 3$000.

Um jogo de pistolas ————————————————————————– Rs 4$000.

Um carro ”ferrado”, um tanto arreado —————————————————– Rs 100$000.

SEMOVENTES

Dez bois de carro, cada qual no valor de vinte e dois mil réis ————————- Rs 220$000.

Duas ovelhas, cada qual doze mil réis —————————————————- Rs 24$000.

Duas vacas novas ordinárias, paridas, avaliadas cada uma treze mil réis ———— Rs 26$000.

Quatro garrotes de dois anos —————————————————————- Rs 36$000.

Três novilhas de dois anos —————————————————————— Rs 24$000.

Uma égua ————————————————————————————– Rs 18$000.

Uma poldra de dois anos ——————————————————————– Rs 15$000.

Duas poldras de ano ————————————————————————- Rs 16$000.

Uma besta escura —————————————————————————- Rs 80$000.

Percebe-se os poucos animais, que nada mais do que é o que restou de uma provável doação em vida de animais para início de vida, como relatado no livro do saudoso Hildebrando Campestrini sobre a história da cidade de Paranaíba e o seu desenvolvimento, os grandes patriarcas sertanejos costumavam doar aos seus filhos um número de reses com porcas e escravos para o início de sua vida, além de indicar um lugar no latifúndio para se instalar com seu rancho.

Fica aqui mais uma homenagem aos grandes homens do Sertão que muito fez pelo Bolsão.

FONTE:

Rudi Guimarães com o Inventário de João Ferreira de Mello – 1863.

Botão Voltar ao topo