PMA de MS prendem e autuam caçador paulista em R$ 10 mil e apreendem dois mutuns abatidos, dois rifles, munições, barco e motor de popa - Bolsão em Destaque de Três Lagoas
DestaquePolícia

PMA de MS prendem e autuam caçador paulista em R$ 10 mil e apreendem dois mutuns abatidos, dois rifles, munições, barco e motor de popa

Os Comandantes das Subunidades da Polícia Militar Ambiental de Bela Vista, Porto Murtinho, Jardim e Bonito, resolveram unir força na operação Semana Santa, para fiscalização do rio Apa, na região de fronteira, especialmente, devido aos problemas relativos à pesca predatória na região e as equipes prenderam hoje (9) à tarde, um turista paulista por caça ilegal e abate de um casal de ave que consta na lista de espécie em extinção.

Os Policiais estavam no rio Apa, no município de Caracol, a cerca de 80 km da cidade, nas proximidades do local conhecido como “Cachoeira do Apa” e perceberam uma embarcação com três pessoas e, quando foram realizar a abordagem, o piloto do barco empreendeu fuga. A PMA realizou uma perseguição e, algum tempo depois, devido ao peso, por haver três pessoas na embarcação, conseguiu realizar a abordagem. No barco, as equipes encontraram um rifle calibre 357, um rifle calibre 22, com uma luneta acoplada, 69 munições calibre 22, sete munições calibre 36, cinco munições calibre 357, além de duas aves da espécie (Crax faciolato), sendo uma fêmea e um macho.

Um paulista, de 42 anos, assumiu ser dono das armas e confessou que ele havia abatido o animais, embora estivesse caçando javali, animal para o qual possuía licença para controle. Ele apresentou a documentação das armas e munições, porém, o material foi apreendido, juntamente com o barco e o motor de popa, por terem sido utilizados no crime ambiental de caça ilegal.

O infrator, residente em Araçatuba (SP), recebeu voz de prisão e foi conduzido, juntamente com o material apreendido, à delegacia de Polícia Civil de Caracol, e responderá por crime ambiental, cuja pena é de seis meses a um ano e meio de prisão, agravada em virtude de os animais estarem em extinção. O caçador também foi autuado administrativamente e foi multado em R$ 10.000,00, pelo abate dos animais. A multa será julgada pelo Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul).

Botão Voltar ao topo