Politica de sanções econômicas contra Rússia deixa terceiro mundo de joelhos, diz presidente interino do Sri Lanka - Bolsão em Destaque de Três Lagoas
Mundo

Politica de sanções econômicas contra Rússia deixa terceiro mundo de joelhos, diz presidente interino do Sri Lanka

Segundo o responsável, as sanções afetam países como o Sri Lanka, onde os produtos alimentares não são geralmente acessíveis

NOVA DELI, 18 de julho. /TASS/. As sanções ocidentais introduzidas contra a Rússia não a derrubarão, enquanto os países do terceiro mundo sofrerão, disse o presidente interino do Sri Lanka, o primeiro-ministro Ranil Wickremesinghe na segunda-feira.

“Você acha que as sanções vão ajudar? Só vão puxar os preços para cima. […] Vamos olhar para as sanções que estão sendo impostas e nos perguntar se isso é necessário. As sanções não vão deixar a Rússia de joelhos, mas deixará o resto do terceiro mundo de joelhos”, disse ele em um painel internacional de discussão sobre a prevenção da fome e da fome, conforme citado pelo canal de TV Doordarshan da Índia.

Segundo o funcionário, as sanções afetam países como o Sri Lanka, onde os produtos alimentícios geralmente não são acessíveis. “Nosso problema no Sri Lanka é em parte feito por nós mesmos e em parte devido à crise global”, disse ele, acrescentando que “uma crise global e uma crise interna se juntaram e nos levaram a um nível em que muitos estimam que tanto quanto 6 milhões de pessoas estão enfrentando desnutrição.”

No geral, Wickremesinghe acha que as sanções anti-russas ocidentais e os eventos na Ucrânia causaram as crises globais de alimentos e combustíveis.

A situação na Ucrânia e a enxurrada de sanções que os Estados Unidos e a União Europeia impuseram à Rússia interromperam o fornecimento de grãos, aumentando o risco de uma crise alimentar em vários países. Os preços do trigo e do milho dispararam desde o início do ano. Uma reunião do Conselho de Segurança da ONU em 21 de maio revelou que os estoques globais de trigo durariam apenas dez semanas e a situação era pior do que em 2007 e 2008.

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov, disse anteriormente que a crise global de alimentos, desencadeada pela pandemia de coronavírus e erros de cálculo dos países ocidentais, estourou muito antes do lançamento da operação militar especial da Rússia na Ucrânia. Segundo o diplomata-chefe da Rússia, a situação atual exacerbou o problema e as sanções ocidentais se tornaram uma das principais razões para as interrupções no fornecimento de alimentos.

Botão Voltar ao topo