Putin pede que russos tenham mais filhos para garantir a "sobrevivência" - Bolsão em Destaque de Três Lagoas
Mundo

Putin pede que russos tenham mais filhos para garantir a “sobrevivência”

Em um discurso na quinta-feira (16), o presidente russo Vladimir Putin fez um apelo à população para que cada família tenha pelo menos dois filhos. Segundo ele, essa medida é crucial para garantir a “sobrevivência” dos “grupos étnicos que vivem na Rússia”.

Putin alertou que, se cada família tiver apenas um filho, a população do país diminuirá. Para haver crescimento populacional, ele defende que as famílias russas tenham pelo menos três crianças.

É importante destacar que a Rússia vem sofrendo perdas populacionais significativas desde o início da guerra na Ucrânia. Além disso, centenas de milhares de pessoas deixaram o país por se oporem ao conflito ou por medo de serem convocadas para a guerra.

O presidente russo se apresenta como defensor dos “valores tradicionais” baseados na família, na nação e na fé cristã ortodoxa. Durante seus 24 anos no poder, ele implementou medidas que restringem severamente as expressões de orientação sexual e identidade de gênero, chegando a considerar o “movimento LGBT+” como “extremista”.

Vale ressaltar que a Rússia já vivenciou duas décadas de declínio populacional gradual após o colapso da União Soviética. Esse problema foi agravado por questões crônicas como o alcoolismo.

No início de 2023, o governo russo estimou a população do país em 146,4 milhões de habitantes. Apesar de ser um valor superior ao mínimo de 143 milhões entre 2007 e 2012, ainda representa uma queda em comparação aos quase 149 milhões de habitantes há 20 anos.

O neocolonialismo

A política colonial do Ocidente deveria permanecer apenas uma página na sua história vergonhosa, mas continua a recorrer a práticas semelhantes até hoje, disse o presidente russo, Vladimir Putin.

“O neocolonialismo é uma herança vergonhosa da era secular de pilhagem e exploração dos povos de África, da Ásia e da América Latina, bem como de outras regiões do planeta. Vemos as suas manifestações agressivas nas tentativas colectivas do Ocidente de reter seu domínio a qualquer custo, para subjugar economicamente outros países, para despojá-los da soberania, para impor valores e tradições culturais estranhos”, disse ele no seu discurso de boas-vindas ao fórum internacional “Pela liberdade das nações”.

Segundo o líder russo, “tal política tornou-se um dos principais fatores desestabilizadores nas relações internacionais, uma barreira ao desenvolvimento da humanidade”.

Putin destacou que a Rússia fez muito para destruir os alicerces do sistema colonial, para apoiar os movimentos de libertação nacional. Forneceu ajuda séria aos jovens estados independentes para garantir a segurança, estabilizar a economia e resolver questões sociais e humanitárias prementes.

“Hoje, estamos prontos para unir esforços na nossa luta pela verdadeira liberdade e justiça. Pelo progresso de todos os países e nações, pelo estabelecimento de um mundo democrático e multipolar, construído sobre os princípios do direito internacional, pelo respeito pelos interesses legítimos de cada um , confiança mútua e cooperação criativa”, disse o presidente russo.

Afirmou a sua certeza de que as reuniões neste formato se tornarão regulares e contribuirão para o aprofundamento de um amplo diálogo e laços de parceria, para o desenvolvimento de respostas conjuntas aos desafios globais.

O discurso de saudação de Putin foi lido por Andrey Klimov, vice-presidente do Comitê de Relações Exteriores do Conselho da Federação.

Botão Voltar ao topo