Semana de Celulose e Papel de Três Lagoas chega a décima edição em formato presencial - Bolsão em Destaque de Três Lagoas
Celulose

Semana de Celulose e Papel de Três Lagoas chega a décima edição em formato presencial

Nos próximos dias 23, 24 e 25 de agosto, a Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel (ABTCP) irá promover a 10ª Semana de Celulose e Papel de Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul. Já aguardado pelos profissionais que formam as equipes das fábricas instaladas na região, o evento expande a sua relevância a todos os elos que contemplam a cadeia produtiva da indústria de base florestal, uma vez que oferece uma programação técnica alinhada aos desdobramentos atuais e às tendências que devem se fortalecer nos próximos anos.

O potencial da indústria de celulose e papel no contexto da economia circular — e os avanços tecnológicos que vêm favorecendo a consolidação desta trilha evolutiva rumo à economia de baixo carbono — destaca-se entre as tendências que serão exploradas ao longo dos três dias de evento. “Montamos uma pauta central bastante atual. À medida que o setor fortalece a sua competitividade industrial e florestal, conquista incrementos igualmente importantes em todos os aspectos ligados à sustentabilidade”, ressalta Viviane Nunes, coordenadora técnica da ABT

A programação será dividida entre painéis específicos sobre Celulose, Papel, Recuperação e Energia, Indústria 4.0, Meio Ambiente e Gente e Gestão — neste último, adianta Viviane, profissionais que atuam no setor irão detalhar alguns programas encabeçados pelas empresas da região que promovem novas formas de aprendizagem e preparam os colaboradores às práticas futuras.

A unidade fabril de Três Lagoas da Suzano sediará esta edição do evento. “A Semana de Celulose e Papel é de extrema importância não apenas para Três Lagoas, único município do mundo onde estão localizadas três fábricas de celulose, mas para o setor como um todo, visto que reúne profissionais de diversas regiões do país para debaterem desafios, tendências e oportunidades. Depois de dois anos realizado de forma remota, o evento volta a ser presencial, o que fortalece ainda mais essa troca de vivência e colabora com a movimentação da economia da cidade”, reforça Eduardo Ferraz, gerente executivo industrial da Unidade de Três Lagoas da Suzano, também sublinhando o direcionador da companhia: “Só é bom para nós, se for bom para o mundo”.

Ferraz informa que a Suzano foi a primeira indústria de celulose a se instalar em Três Lagoas e sente-se orgulhosa de acolher a 10ª edição da Semana de Celulose e Papel. “Pretendemos contribuir por meio da vasta experiência da nossa equipe, que irá compartilhar seus conhecimentos e vivências durante as palestras e/ou mesas de debate, pautada pelo tema central, ‘Tecnologias verdes como suporte à transição do setor de celulose e papel para uma economia de baixo carbono’. Além disso, abriremos as portas da nossa unidade para profissionais da área e estudantes conhecerem um pouco mais do nosso processo de produção da celulose, as tecnologias que adotamos e as ações de Inovabilidade da companhia.”

 A redução da emissão de carbono é uma discussão global e as decisões tomadas hoje vão impactar diretamente no futuro, tanto do setor como de todas as cadeias produtivas. “Hoje, na Suzano, já somos carbono negativo, o que significa ser positivo para o clima. Com investimentos contínuos na preservação de mais de 960 mil hectares de mata nativa, a empresa já captura mais CO² do que emite em toda a operação. E a nossa meta é ir além. A redução da emissão de carbono faz parte das metas de longo prazo da companhia, que prevê ser ainda mais climate positive, com a remoção líquida de 40 milhões de toneladas de carbono na atmosfera, e reduzir em mais 15% as emissões por tonelada de produção, até 2030”, elenca Ferraz as metas e as iniciativas já encabeçadas pela Suzano. “A nossa expectativa é que, com essa troca de experiência de profissionais de diversas áreas de atuação e diferentes formações, o setor de celulose e papel reúna o conhecimento necessário para assumir o protagonismo na busca por uma economia mais sustentável”, completa.

 Na visão de Marcelo Martins Vilar de Carvalho, gerente geral industrial da Edorado, receber um evento de tamanha importância para os profissionais do setor na região é também um reconhecimento do potencial local. “Três Lagoas é um município catalisador de uma série de avanços técnicos que elevam o nível de produção de celulose no País: das 21 milhões de toneladas de celulose produzidas atualmente no Brasil, mais de 5 milhões são produzidas na cidade. As tecnologias de produção e a concentração de profissionais altamente capacitados certamente proporcionarão relevantes trocas de conhecimentos e compartilhamento de valor.”

 Carvalho lembra que a preocupação com o meio ambiente é uma característica intrínseca ao cultivo de eucalipto. A quantidade expressiva de iniciativas e investimentos feitos pelas empresas do setor, contudo, demonstram que sua atuação fortalece, cada vez mais, a economia de baixo carbono. “A Termelétrica Onça Pintada, empreendimento inédito no Brasil, inaugurado em abril de 2021, no complexo fabril da Eldorado, apresenta uma capacidade produtiva de 50 MWh de energia elétrica verde. A tecnologia permite o aproveitamento integral do eucalipto, conferindo ainda mais eficiência e sustentabilidade ao processo da Eldorado”, pontua, ao fazer um link com o tema escolhido pela ABTCP para o evento deste ano e as muitas práticas já adotadas pelo setor.

“A Semana de Celulose e Papel é um excelente vetor de conhecimento sobre a cadeia produtiva do setor. O evento também traz oportunidades para que a importância da nossa indústria ao desenvolvimento econômico e social seja reforçada e para que os empenhos sustentáveis da cadeia sejam destacados”, concorda Alessandro Lachman, gerente geral de Manufatura da Sylvamo.

Neste sentido, frisa ele, é muito importante proporcionar um debate técnico de alto nível para os profissionais que atuam na região, a fim de fortalecer o conhecimento e o engajamento de todos. “A inovação tecnológica, incluindo conceitos e tecnologias disruptivas, move o setor em busca de maior eficiência, redução da necessidade de recursos naturais e redução de custos de manufatura. Estarmos atentos às novas tendências é fundamental para efetivar a transição do setor para uma economia de baixo carbono.”

Lachman ressalta que a Sylvamo acredita que o futuro do papel merece uma empresa comprometida com o sucesso de todo o ecossistema. “Nosso propósito é produzir o papel que o mundo precisa de maneira responsável e sustentável. A maneira como obtemos e certificamos a fibra resulta em mais florestas e ecossistemas mais saudáveis. Com investimentos constantes em novas tecnologias de produção e melhorias de processo, reduzimos continuamente nosso uso de energia e nossas emissões de gases de efeito estufa. Também protegemos nossas bacias hidrográficas, reduzindo o uso de água por tonelada de papel produzido e melhorando a qualidade da água que retorna ao meio ambiente”, adiciona Lachman com alguns exemplos práticos que baseiam a rotina operacional da Sylvamo.

Em paralelo à programação destinada aos profissionais do setor, alunos do último ano do Ensino Médio do Sesi, da faculdade AEMS e do Senai poderão acompanhar palestras sobre os programas de treinamento que a ABTCP disponibiliza atualmente e as demais oportunidades acerca desta indústria. As palestras destinadas aos estudantes acontecerão no dia 23 de agosto, na AEMS, em Três Lagoas.

10ª Semana de Celulose e Papel de Três Lagoas

Data: 23 a 25 de agosto

Local: Unidade fabril de Três Lagoas da Suzano

Patrocinadores: AçoKorte, Albany, Andritz, Kadant, Kemira, Nalco Water, Solenis, Spraying Systems, Valmet e Voith
Apoiadores: AEMS, Eldorado Brasil, Senai, Suzano e Sylvamo

Mais informações: https://www.abtcp.org.br/tres-lagoas

Botão Voltar ao topo